Listas de reprodução para você ouvir no final de semana. Aproveite!
Playlists for you hear on the weekend. Enjoy!

Essa lista de reprodução também está disponível no Spotify: LINK

This playlist is also available on spotify: LINK
Eu particularmente estou muito ansiosa por Digimon Adventure Tri, Kekkai Sensen, Kyoukai no rinne, The labyrinth of Grisaia e Nagato yuki-chan no shoushitsu.

E vocês, o que acham da nova temporada de animes?





Essa resenha não contém spoilers!


O livro Mentes Sombrias, primeiro da trilogia que leva o mesmo nome, não falha em entreter e instigar o leitor. Contagiante e ao mesmo tempo angustiante.
Hiya!

Depois de uma certa demora pra postar de novo, venho aqui trazer uma lenda urbana que acho bacana. O Slender Man...


A tradução literal para o nome dele ficaria como "Homem Esguio" ou algo parecido, devido a sua alta estatura e ser bem magro. Veste-se de terno preto e seu rosto é totalmente "liso". Suas habilidades mudam de versão para versão, sendo algumas delas: esticar os braços, fazer surgir tentáculos nas costas, teletransporte, causar amnésia, etc.

A "lenda" surgiu depois de um concurso de fotos paranormais photoshopadas, e por ai as fotos foram espalhadas e foram criados alguns fakes, para confirmar a história como real.

Enfim, o negócio começou a fazer sucesso. Foi criado um canal do Youtube com uma narração bem bacana, similar a filmes como "A Bruxa de Blair" e "Atividade Paranormal". De vez em quando dá até pra acreditar que existe mesmo. xD

O nome do canal é "Marble Hornets", e o blog que acompanho, o MedoB, deixou tudo organizadinho, então   vou indicar os links:





Ainda não assisti nenhum vídeo da Parte 2, então não sei se continua tão boa com o passar do tempo. Mas vale a pena dar um conferida. Preferencialmente a noite e com as luzes apagadas... Mwahaha.


E recentemente, saiu o jogo também. É um jogo Indie, com gráficos bem simples, porém muito legal, e pode render bons sustos para os mais medrosos. Lembra um pouco Amnesia: The Dark Descent e Penumbra. E o melhor, é free. 




Link para download abaixo:


PS: Por algum motivo não consigo acessar o site do jogo, mas se quiserem tentar, só tentar neste link.

E aqui uns mapas adicionais:

Elementary
Hospice
Sanatorium

Quem achar bacana, pode colaborar no site dos caras.


É isso mansebos! See ya!

0/


Eu estou meio afastada do mundo Jrocker, mas com certeza não fiquei de fora desse lançamento. Nossos queridos e idolatrados moços não tão moços do  The Gazette, acabam de disponibilizar seu novo álbum, intitulado DIVISION.



Quatro semanas atras os ânimos dos fãs já haviam sido alimentados, com previews do novo álbum. Bem, e antes mesmo do planejado o já temos as músicas disponíveis. (Era pra ser lançado dia 29, ou será que já é dia 29 no japão? :| )


Uma alma caridosa já upou algumas das faixas para o youtube, eu fiz a lista de reprodução, clique no link e divirta-se. 

Abaixo o PV de 歪 (Distortion - é isso produção?)



Discos e músicas de cada disco do novo álbum: (segundo a sony jp)

[DISC:1]  CD

1. [Depth] 
2. 歪  
3. 籠の蛹 
4. ヘドロ 
5. 影踏み 
6. 余韻 
7. [Diplosomia] 

[DISC:2]  特典DVD

1. 歪 
2. [Diplosomia] 
3. DERANGEMENT 

[DISC:3]  特典CD

1. [XI] 
2. DERANGEMENT  
3. REQUIRED MALFUNCTION 
4. DRIPPING INSANITY 
5. ATTITUDE 
6. GABRIEL ON THE GALLOWS 
7. [Melt] 


Não acho interessante fazer review nesse momento, mais tarde depois de ouvir tudo exaustivamente talvez eu possa fazer um novo post.

Se gostaram comentem, e se não gostaram, bem, comentem também!

P.S. O Reita ainda me dá medo.
Boa noite, metal maniacs!

Depois de um tempão sem postar, retorno com um assunto que qualquer metalhead deve conhecer: Robert John Arthur Halford, ou apenas Rob Halford, vocalista e ícone do Judas Priest.



Neste dia 25 de Agosto, sábado, o cantor inglês, nascido em 1951, completará 61 anos, não na mesma forma que havia em 70, mas firme e forte. Responsável por clássicos que nenhum amante do metal desconhece: Painkiller, Electric Eye, Breaking The Law, You've Got Another Thing Comin', entre outros... Mas nada melhor que explicar a história desse Deus do Metal pelos primórdios (obviamente). Comecemos pela infância.

Nascido em Sutton, criado em Walsall, ao noroeste de Birminghan, teve uma infância de mudanças de casas e ambientes. Começou sua carreira como vocalista na banda Hiroshima, quando adolescente. Durante sua juventude, cantou em bandas como Athens Wood, Lord Lucifer, Abraxas e Thark. Até que em 1973, uma banda chamada Judas Priest necessitava de vocalista, com a saída de Al Atkins. A namorada de K.K. Downing lhe sugeriu Rob. Ouviram uma apresentação de Halford e apreciaram seu grande alcance vocal. Além dos timbres muito diversificados, o que se percebe ao ouvir a discografia da banda, o que mais o marca como grande vocalista é o agudo. O mestre do falsete, o "gritinho" agudo como é conhecido entre os leigos. Quem não conhece Painkiller?

Após entrar na banda, em 1974, ja depois da entrada de Glenn Tipton como segundo guitarrista, foi lançado o primeiro álbum do Judas Priest: Rocka Rolla, gravado de um jeito peculiar. De acordo com os membros da banda, o álbum foi gravado "ao vivo", ou seja, todos os instrumentos foram tocados juntos, como se fosse um ensaio ou show, quando normalmente se grava cada instrumento separadamente e depois os une na mixagem. Talvez por isso, o som da gravação tenha saído um tanto pobre, sem qualidade, diferente de muitos álbuns que eram gravados na época. A maioria das músicas foram escritas antes da entrada de Rob na banda, o que foi percebida na mudança de sonoridade para o próximo álbum, o Sad Wings of Destiny (1976). Este álbum, já com sonoridade mais pesada, mostra mais da capacidade vocal de Rob Halford, como se percebe logo nas duas primeiras faixas (Victim of Changes e The Ripper).



Álbum por álbum, o gosto pelo som mais pesado, que Rob Halford sempre adorou aparecia mais. Em 1980, foi lançado o British Steel, álbum bem mais pesado, ao se comparar com o primeiro. Com temáticas não tão obscuras como antes, um som um pouco mais comercial (O que era comercial na época é infinitamente diferente do que é comercial atualmente) e ritmo bem mais acelerado, foi um dos álbuns obrigatórios pra se ouvir. A voz de Halford já se encontrava bem mais madura, com os agudos muito bem encaixados enquanto seus graves destruíam.

Rob mudou completamente com a sonoridade do Judas em 1982, com o lançamento do Screaming For Vengeance. O peso simplesmente aumentou drasticamente. O uso de distorções diferenciadas, tanto nas guitarras quanto na voz, foi marcante. A temática, que os aproximava de um ambiente semelhante às estradas e motoqueiros, ainda mais com o tipo de roupas que marcou de vez o Judas Priest. Muito couro, muitos espinhos, adereços... Um visual muito chamativo e forte. Riding On The Wind é a faixa do álbum que deixa essa característica mais visível. Mas nada ficou mais explícito que Painkiller. Em 1990, foi então lançado o álbum que mudou completamente a história da banda, e de Rob. Desde o lançamento do disco, de sonoridade super pesada e veloz, com guitarras afinadas em um tom menor que o de costume e Rob usando de todo o seu falsete, como na faixa-título, o Judas Priest flertou com os estilos que inspirou, princpalmente com o Thrash. Durante a turnê, Halford popularizou o uso da Harley-Davidson dentro do palco. Em 1991, durante um show em Toronto, nessa performance de entrar motorizado ao palco, Rob acabou colidindo numa espécie de elevador para a bateria e ficou bastante machucado. Mesmo assim, ele se recusou a ser levado ao hospital antes de fazer o show. Mesmo com o atraso, Rob entrou em palco e cantou o repertório completo do show e ai então, foi levado para receber o tratamento de suas feridas. No fim disso tudo, ao fim da turnê de 1991, Rob Halford sai do Judas, por motivos ditos por ele em um programa musical na época, como o acidente e outras brigas internas (Motivo desmentido por ele mesmo em 2007).




Após sua saída, Rob Halford iniciou sua busca nos flertes em outros estilos. Montou a banda Fight, de Thrash Metal. Claramente influenciado pelas bandas conhecidas do momento, como Pantera e Slayer, o som da banda se torna bastante parecido com tais bandas, puxando bastante pro Groove que Pantera sempre teve. A banda lançou 2 discos e acabou em 1996. Entre os dois álbuns do Fight, em 1992, Rob Halford gravou a música Light Comes Out of Black, junto com o Pantera, para o filme Buffy, a Caçadora de Vampiros. Abaixo, a música. Ouçam, vale muito a pena.



Participou também do grupo 2wo, do guitarrista John Lowerty. Banda com influência industrial, bem diferente do que Halford estava acostumado, mas o agradou, por ter essa veia experimental, já mostrada em muitos álbuns do Judas. Enfim, em 2000, Rob decide voltar à sua raíz Heavy Metal, fundando a banda Halford. Lançou 4 álbuns de grande qualidade, incluindo o Made of Metal em 2010. Foi a banda solo em que mais durou e canta até atualmente. Abaixo, Made of Metal - Halford:



Em 2003, Halford retorna ao Judas Priest, lançando o álbum Angel of Retribuition (meu favorito) em 2005. Com um peso muito grande e com o bom abuso de pedais duplos nas músicas, foi um álbum muito bem recebido, como sua volta iminente à banda, apesar de Tim "Ripper" Owens ter feito um belíssimo trabalho na banda. Em 2008, iniciou-se os trabalhos para o fim das turnês mundiais, com o álbum Nostradamus e em 2011 anunciar a Epitaph Tour, que marcaria o fim das grandes viagens, mas continuando com sua banda solo.



Em 1998, Halford assumiu o que muita gente do mundo do metal suspeitava: Sua homossexualidade. Rob Halford é gay, e como ele próprio declarou: "Ninguém escolhe ser gay". A notícia pegou muitos de surpresa, mas como isso nunca foi motivo pra alguém ser pior que o resto do mundo, Rob não se importou com o preconceito sofrido e mostrou a todos o que é ser um Deus do Metal!


Enfim, em 2006, foi criado a Metal God Entertainment, selo musical produzido por Halford. Além de produzir DVD's do Judas Priest, Halford e Fight, Rob declarou que queria produzir bandas novas, um imenso incentivo pra quem iniciou no metal e precisa do apoio que toda banda precisa.


Bem, pessoal, está tarde, e eu tive de fazer esse post quase correndo pra dormir HAHA, mas ta ai, espero que gostem, é o mínimo que posso fazer pelo Halford, que é inspiração pra mim e uns dos que me fez entrar nessa maravilha que chamamos de rock e metal. Recomendo demais ouvir o que esse Metal God fez pela música. Então, boa noite pra todos, e que o metal sempre os acompanhe! o/ Até mais, galera \,,/_



Ai vai algumas músicas que acho bem bacanas, e como sou meio eclético (Dentro do rock), vou tentar dar uma boa variada:

Hiya!

Primariamente, a intenção não é atacar a crença de ninguém, então se for fanático ou lá essas coisas, e se não tiver a mente aberta. Não precisa ver o vídeo.

As aventuras de Mark Twain
Passou em Portugal, e foi censurado por ser meio pesado e crítico demais para as crianças. É uma crítica direta ao modo de vida do ser humano, e não a nenhuma entidade... E como adoro coisas bizarras, achei interessante compartilhar:


Este é um filme, o nome dele é "As aventuras de Mark Twain.



Não, não é satanista e nem nada do tipo. xD

Good night!

Hiya!

Este é o meu primeiro post direto, e como conheci o blog pelo especial sobre Shin Megami Tensei que pode ser lido aqui. Resolvi postar um review sobre o primeiro jogo da série que joguei, na verdade, não joguei muitos, mas o suficiente pra me apaixonar pela série.

Como não são muitos os que tem acesso a um Nintendo DS, vou me focar mais nas versões do portátil, que são os que mais tenho contato, no caso:

  • Shin Megami Tensei: Devil Survivor / Nintendo DS
  • Shin Megami Tensei: Devil Survivor 2  / Nintendo DS
  • Shin Megami Tensei: Strange Journey  / Nintendo DS
  • Shin Megami Tensei: Devil Survivor Overclocked  / Nintendo 3DS
  • Shin Megami Tensei IV  / Nintendo 3DS / Não lançado
  • Digital Devil Saga: Devil Summoner  Nintendo 3DS / Não lançado
Como o Devil Survivor foi o primeiro da série que joguei, este review será destinado ao mesmo. Porém, na versão de 3DS, que é um upgrade na versão antecessora.

Boxart da versão de 3DS, muito !@#$ na minha opinião. *-*

O jogo ocorre na cidade de Tokyo, quando um três de jovens (Incluindo o herói sem nome, você), ganham do primo do protagonista, Nayoa, três COMPS, gadgets semelhantes a um Nintendo DS ou a um 3DS, dependendo da versão. Os outros membros da equipe são: Atsuro, um nerd viciado em equipamentos eletrônicos e Yuzu, uma garota comum.

Atsuro, Herói e Yuzu.

Atsuro, percebe que os dispositivos estão com uma "trava" e resolve desbloquear o software. Eis que então, surge o programa de invocação de demônios. 3 seres são invocados e imediatamente atacam os protagonistas, que a princípio, pensam que vão ser mortos facilmente. Então percebem que estão mais fortes graças ao COMP, lutando e derrotando os demônios em seguida. Após a derrota, os mesmos se submetem a equipe e voltam aos seus COMP's, como fiéis servos.

Após alguns eventos, os três se vêem forçados a dormir em um cemitério, após um uma explosão e um blackout.

Me esqueci de citar, que algum tempo antes, antes de "invocarem" os demônios, os mesmos recebem um E-Mail no COMP, avisando sobre uma explosão, um blackout e uma misteriosa morte por mordidas.

Continuando, ao acordarem no outro dia, descobrem que a cidade está em quarentena, devido a um vazamento de gás subterrâneo (Sei, sei). E percebem que acima da cabeça das pessoas, aparecem número flutuando, alguns maiores, outros menores, porém não maiores que 6.

A partir dai, os personagens começam por uma saida, o fim da quarentena e principalmente sobreviver. Já que demônios começam a surgir na cidade e muitas outras pessoas tem acesso aos COMP's, e muitas, mal intencionadas, já que tornam-se potencialmente mais poderosas graças ao poder conseguido.

O modo de exploração do jogo é bem simples, você não vai "a pé" para os lugares. Os mesmos são listados e os que possuem um evento, são marcados com um símbolo de relógio, sendo que cada evento, leva 30 minutos do "tempo real da história". E os locais que possuem lutas, são marcados também com "Battle", que também leva 30 minutos, ou "Free Battle", que não consome tempo, ou seja, treino, e você vai precisar muito dele.

Já o modo de batalha é divido em duas partes: A primeira, como num jogo de estratégia em turno, você se move em "quadrados" pelo mapa, variando com a capacidade de cada personagem, alcance de ataque dos demônios e etc. 


Ao entrar na área de algum char ou monstro, você pode utilizar uma habilidade ou iniciar uma luta. Ai a visão vai para um tipo de primeira pessoa, o modo de luta, é um convencional de JRPG's:


Após o fim da batalha, se venciada, os personagens ganham experiência e Macca (dindin). A quantidade de Macca é definida por algumas variantes, por exemplo, se vencer a batalha sem apanhar, a quantidade é levemente maior, e por ai vai.

O único persoangem que você terá a livre escolha para os atributos é o herói, que ganha um ponto por nível subido, os demais personagens já tem uma build definidia, por exemplo, a Yuzu se dá bem com magia, e o Atsuro não é bom em nada, um pouquinho focado em agilidade. Aliás, os atributos são:
  • Força (STR)
  • Inteligência (INT)
  • Agilidade (AGI)
  • Vitalidade (VIT)

As habilidades e magias que cada personagens poderão utilizar serão definidas por estes atributos.

No jogo existe um sistema chamado SkillCrack, que permite ao jogador, copiar a habilidade de inimigo após matá-lo. Por exemplo, tem uma Pixie que tenha Agi (Magia de fogo), e você quer que a Yuzu consiga aquele golpe, então marcará a mesma para aprendê-lo após a vitória contra a Pixie e a Yuzu, somente ela, poderá matá-la para aprender o golpe. But... Após o golpe aprendido, qualquer personagem pode utilizar, desde que nenhum outro personagem da equipe o esteja utilizando.


Algumas outras funções são:

Demon Auction: Você pode comprar demônios através de leilão, para os mesmos entrarem na tua equipe. Se quiser, pode pagar um pouco mais caro, e pegá-lo direto, ao invés do leilão. As vezes ele te dá o calote, e vem um demônio diferente.

Cathedral of Shadows: Aqui você vai fundir dois demônios que dará origem a um mais forte, ou não. Por isso o ideal é utilizar o "Search" e verificar quais demônios formam qual. E você não pode fundir um demônio maior que o level do protagonista, ou seja, nada de Lucifer ou Metatron no level 15.

Demon Compendium: Aqui você pode ver e invocar todos os demônios utilizados anteriormente, registrar os demônios com a força atual, e ler um pouco sobre a história dos mesmos, já que o contexto de demônio é bem diferente, como citado no post da Neekill.


Voltando um pouco a história do jogo, você pode interagir com mais personagens no recorrer da história, e salvando (ou não) alguns no decorrer do roteiro.

O jogo é divido em sete "dias", e no começo de cada, a equipe recebe um E-Mail misterioso, como o citado acima, informando eventos importantes, como a morte dos protagonistas, pessoas comuns ou outros personagens. Porém o mesmo não é fixo, e é ai que a luta para a sobrevivência fica mais emocionante, pois alguns eventos podem ser passados em branco, resulatando em uma morte aqui e acolá. Já que o jogo é determinado em eventos de meia hora, e muitos podem ocorrer ao mesmo tempo, se fulando vai se ferrar as 12:00 e nessa hora você for bater um papo com outro personagem... Já viu. Então se pretende jogar este jogo, é bom prestar atenção no "Laplace Mail".

E como todo bom SMT, tem as escolhas morais, desde as mais extremistas, neutras,  bondosas. E pra cada uma, tem o final de um persogem em específico, nas minhas contas, são uns 5 finais diferentes e com as variantes de quem vai estar te acompanhando.

Basicamente, a versão de DS e 3DS são idênticas até um certo ponto. Vou listar abaixo o que o 3DS tem a mais:
  • 20 demônios a mais na lista.
  • Dublagem (E de boa qualidade), o que dá uma experiência bem mais profunda a história.
  • O "Oitavo Dia" para alguns caminhos, que adiciona mais história ao jogo.
  • Graficos levemente melhoras.
  • Trilha sonora e abertura melhorada.
Trailer da versão de 3DS:

Trailer do Oitavo dia:


Outra coisa bem legal do jogo é trilha sonora, de qualidade, o que já é um padrão de SMT:




Bom, como ando meio gagá, por enquanto é isto. Espero que possa ter passado porque gosto tanto deste jogo e que aguardo ansiosamente o meu Devil Survivor 2 que está vindo de Curitiba. *-*

Espero que tenham gostado do meu primeiro review... E deixo uma mensagem que gosto muito:


Let's Survive!

0/

Hello my friend, stay awhile and listen... Or read. xD


Olá! Meu nome é Raul, mas meu pseudônimo neste mundo obscuro e caótico da internet é Naito, então, podem me chamar assim. Pretendo postar regularmente sobre assuntos que me interessam, mas o foco são os games.
Ah os games... Desde que ganhei meu SNES em meados de 1998, foi paixão a primeira vista. Não entendia nada na época, basicamente, conhecia Mario e Mortal Kombat. E como não tinha muita grana, tinha que recorrer as locadoras. Quem teve um console de 16 bit nos anos 90, sabe como é acordar cedinho no sábado pra ir alugar um jogo. 
Foi ai que comecei a descobrir muitos outros títulos legais, como Donkey Kong, Rock’n Roll Racing e por ai vai. Sempre preferi os jogos mais longos e muitas vezes tendo a frustrante sensação de saber que teu save foi apagado por algum sacana que alugou a mesma fita, e haviam slots free. T-T



Enfim, isto não ocorre mais, mas desde aquela época, minha mente de garoto nerd necessitava de algum jogo com liberdade de desenvolvimento, histórias complexas e muito treino. Eis que me surgiu o RPG. Confesso que nunca tive muito contato na minha época do SNES, pois ninguém tinha a coragem de por RPG’s pra por na prateleira, já que ninguém alugava.
Só namorava aquele adaptador de Gameboy pra SNES e aquele cartucho do Pokémon, mas era muito caro na época, infelizmente não pude jogar aquela pérola.

Eis o objeto de desejo.
Então, alguns anos depois tive meu primeiro computador, e consequentemente, tive acesso a mais jogos. Então conheci Pokemon, ao contrário do que muitos pensam, os jogos não são tão infantis quanto a série de TV, na verdade, uns dos RPG’s mais bem elaborados, ao lado de Final Fantasy, Dragon Quest (A qual não conheço muito) e Shin Megami Tensei.

Pior do que isso, só treinar um Abra.

Desde então, comecei a conhecer muito melhor algumas franquias, e algumas se destacando na minha preferência: Castlevania, Megaman, Final Fantasy, Shin Megami Tensei, Resident Evil e Pokémon.
Retrogamer assumido, adoro a beleza da época dos 8/16 bits, adoro jogos atuais com toque retrô. E os mesmo são muito mais acessíveis hoje em dia (cof cof, Steam e GoG, cof cof). Claro que sei apreciar gráficos belos, porém não os troco por um bom jogo criativo, e felizmente, os produtores de jogos Indie (Independentes) vêm ganhando bastante espaço hoje em dia. Algo que também pretendo explorar no futuro


 The Binding of Isaac... Bizarro e cruel. Muito bom!
Mas nem só de jogos esta mente vive, na verdade, meu principal alimente intelectual são os livros. Tenho preferência por séries de fantasia, mas adoro qualquer leitura que seja boa. Atualmente terminando um livro de horror meio antiguinho e chato de se encontrar: “O demônio de gólgota”. E lendo paralelamente as “Crônicas do Gelo e Fogo”, digna de amor e ódio, a obra mais épica desde “O Senhor dos Anéis”.

Rhaegar, um personsagem e ser explorado, eu espero que sim pelo o menos. xD 

Também há o interesse por música, onde já me desprendi de rótulos, mas tenho preferência por Rock Nacional e J-Rock. Mas bastando a música ser de meu gosto, que ouço sem “pobrema” (Gustavo Lima e você, tchê tchê rê rê tchê tchê, brincadeira rsrs).
E por último, cinema, séries e animes. Que também são importantes pra mim, e como estou sempre vendo coisas diferentes, focar em algo agora ia render parágrafos e mais parágrafos. E como tenho a mania de começar a escrever sem parar, melhor esperar um pouco. XD
Esta foi uma breve apresentação, espero que curtam os posts futuros, isso se a Neekil me aceitar. xD

Abraços!

------------------------------------------

Yo!!!

Então essa é a apresentação de nosso novo membro, o Naito. Espero que vocês gostem da contribuição dele no site, e se possível mandem feedbacks sobre a nossa atuação.

Até mais!!!

NeeKill